Connect with us

Famosos

Motivo de sangue ter sido retirado do corpo de Pelé pela veia jugular antes da cerimônia de despedida é revelado

Minuto Info
Publicidade - OTZAds

Nesta terça-feira, dia 2 de janeiro, ocorreu o velório de Edson Nascimento Arantes, mais conhecido mundialmente como Pelé. O jogador brasileiro se consagrou como um dos melhores do mundo, recebendo o título de Rei do Futebol. Ele faleceu aos 82 anos de idade após ter enfrentado um câncer que começou no seu cólon e se espalhou para outras partes de seu corpo.

Publicidade - OTZAds

E para que o corpo ficasse preservado até ocorrer a cerimônia, precisou ser feito um processo de embalsamento. O procedimento também auxilia no transporte.

Uma das etapas de embalsamento é chamada de tanatopraxia, e foi justamente por essa que Pelé passou. Na ocasião, se foi feita uma injeção venosa de um líquido composto por formol, álcool, glicerina e outras substâncias. Isso ocasiona a saída do sangue através da veia jugular. Com isso, a coloração da pele do ex-atleta foi devolvida.

A tanatopraxia serve para retardar o processo de decomposição do cadáver. Com isso, são feitos procedimentos como higienização, necromaquiagem e aplicação de produtos químicos.

A expressão facial é reconstituída através de cosméticos. Também se é decidido qual roupa será utilizada no momento da cerimônia de despedida.

Publicidade - OTZAds

O preparo do corpo ocorreu no próprio Hospital Albert Einstein, local em que Pelé ficou internado. Todo esse procedimento foi necessário para que o caixão do ídolo permaneça aberto.

Outros famosos também passaram por procedimentos semelhantes, como Gugu Liberato, Itamar Franco e Tarcísio Meira.