Continua depois da publicidade

Prisão de Júlio Cocielo? Justiça entra com pedido de prisão contra influenciador por causa de publicações

O pedido de prisão é devido a publicações feitas nas redes sociais.

O influenciador digital Júlio Cocielo, conhecido por seu trabalho nas redes sociais, está enfrentando um momento crítico em sua carreira.

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou a prisão do influenciador por conta de publicações com conteúdo racista feitas entre 2011 e 2018. Este pedido marca um ponto de virada significativo no caso, que agora se encaminha para julgamento.

O MPF identificou nove ocorrências em que Cocielo fez comentários ofensivos em suas redes sociais. Entre as declarações mais chocantes, ele sugeriu que o Brasil seria melhor sem “frescura com piadas racistas” e até falou em “exterminar os negros”.

Em outro tweet, ele fez um comentário depreciativo sobre o jogador de futebol Mbappé, associando-o a crimes. Essas declarações provocaram indignação e levaram a uma ação legal séria contra o influenciador.

Após a repercussão negativa, Cocielo apagou cerca de 50 mil publicações de seu perfil e publicou um texto pedindo desculpas, reconhecendo que as “piadas” foram um erro. No entanto, o MPF considera que o pedido de desculpas reforça a consciência do influenciador sobre a gravidade de suas ações.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Júlio Cocielo Estaniecki (@cocielo)

O procurador da República João Paulo Lordelo, responsável pela ação, destacou que as mensagens de Cocielo não possuem tom cômico, crítica social ou ironia, mas sim um claro desprezo pela população negra.

Se condenado, Cocielo pode enfrentar uma pena de reclusão de um a três anos e multa, conforme estabelecido no artigo 20 da Lei do Racismo. Além disso, a pena pode ser agravada devido à natureza pública das ofensas e ao número de publicações.

Até o momento não houve qualquer manifestação por parte do influenciador.

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *