Continua depois da publicidade

Motorista bêbado avança sobre bloco de Carnaval, faz diversas vítimas e mobiliza socorristas no interior de MG

O caso segue sob investigação.

No encerramento da noite de sexta-feira (9), durante o desfile do Bloco Makako Loko, que acontecia na cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo, localizado na Região Central do estado de Minas Gerais, dezenas de indivíduos foram atropelados.

VÍDEO Nº 1

De acordo com informações da Polícia Militar, 28 pessoas ficaram feridas, incluindo o condutor do veículo. Registros em vídeo capturados durante o tumulto evidenciam o instante em que as vítimas recebem os primeiros socorros dos brigadistas locais.

Informações dos bombeiros indicam que o condutor do veículo perdeu o controle, resultando no acidente, no qual três pessoas sofreram ferimentos graves. A Polícia Militar afirmou que o motorista apresentava sinais de embriaguez, incluindo fala arrastada, odor etílico e olhos avermelhados.

Ele admitiu aos policiais ter ingerido bebidas alcoólicas e, ao trafegar pela Avenida Central, não conseguiu manter o controle do carro. Em decorrência, foi detido pelas autoridades.

VÍDEO Nº 2

A administração municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo expressou em comunicado seu pesar pelo ocorrido no acidente.

Em meio às dificuldades impostas pelos hospitais lotados devido a casos de dengue, a prefeitura e a Secretaria de Saúde estão atuando em esforço conjunto para garantir que todas as pessoas que necessitam de remoção sejam transferidas“, diz um trecho da nota da administração municipal.

Diante da brutalidade do incidente, os participantes do bloco reagiram com indignação. Arrancaram o condutor do carro e o agrediram até que ele perdesse a consciência. O veículo tornou-se alvo da fúria dos integrantes do bloco, sendo alvo de ataques com chutes, golpes de pau e pedras.

Ao menos trinta pessoas foram atropeladas durante a festa Foto Redes Sociais

Militares da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e equipes médicas municipais e civis se mobilizaram rapidamente para prestar socorro às vítimas.

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *