Continua depois da publicidade

Diretor da PF confirma ameaças contra Alexandre de Moraes e garante que envolvidos serão identificados

Caso veio à tona após entrevista do ministro da Suprema Corte.

O dia 8 de janeiro de 2023 permanecerá lembrado na história do país como o dia em um atentado à democracia foi frustrado. Apesar disso, até hoje a Justiça brasileira ainda julga os envolvidos na trama golpista, deixando claro que esse capítulo da história ainda não foi deixado para trás.

Nesta semana, o caso voltou a ser notícia após repercussão de uma entrevista do ministro Alexandre de Moraes. Segundo Moraes, havia um plano de enforca-lo após o sucesso do golpe de Estado.

O terceiro [plano] defendia que, após o golpe, eu deveria ser preso e enforcado na Praça dos Três Poderes. Para sentir o nível de agressividade e ódio dessas pessoas, que não sabem diferenciar a pessoa física da instituição”, declarou ao Globo.

Ainda segundo Alexandre, as investigações revelaram três planos do que seria feito com ele especificamente caso o plano de golpe prosperasse. Em um dos planos, Alexandre seria assassinado e, no outro, ele seria preso pelas Forças Armadas.

A entrevista gerou forte repercussão e, já nesta quinta, o diretor da Polícia Federal confirmou as informações dadas pelo Ministro. Andrei Rodrigues ainda garantiu que os responsáveis serão identificados.

São informações extraídas de trocas de mensagens daquilo que eu comentava: apreensões, prisões, todo o trabalho investigativo que está sendo feito e segue em curso (…) É uma situação absolutamente grave”, afirmou ao Globonews.

Alexandre de Moraes, além de ministro do Supremo Tribunal Federal, também é presidente do Tribunal  Superior Eleitoral.

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *