Continua depois da publicidade

Mulher rouba bebê após supostamente ter sofrido perda no RJ; mãe da criança continua desaparecida

A mulher teria roubado o bebê após ter sofrido uma perda no RJ. A mãe da criança continua desaparecida e o caso está sendo investigado pelas autoridades.

Uma mulher presa em flagrante em Búzios, no sábado, por supostamente raptar uma bebê em Niterói, teria se aproximado da mãe da criança alegando ter tido um aborto. Luciana Cristina Soares Marques Ramos, de 40 anos, apontada como autora do crime, residia na mesma comunidade, em Charitas.

A criança e sua mãe, Maria Clara da Conceição Honorato, de 16 anos, desapareceram em outubro, e a polícia busca esclarecimentos sobre o paradeiro da jovem.

Ainda não se sabe o que aconteceu com ela. Nesta segunda-feira, a Justiça converteu a prisão em flagrante de Luciana em prisão preventiva, o que significa que ela vai permanecer presa.

Conforme o auto de prisão em flagrante, depois de informar à mãe da criança, na época com dois meses, que havia sofrido um aborto, a mulher apareceu na comunidade com a bebê no colo, dizendo ser a mãe da criança.

Luciana foi encontrada em uma praia, dentro de uma residência com seu companheiro. Quando a polícia chegou, o casal estava na varanda bebendo cerveja com a bebê. Ao ser questionada sobre a maternidade, Luciana apresentou uma certidão de nascimento, suspeita de ser falsa.

Os policiais desconfiaram da autenticidade do documento, confirmado posteriormente por análises. Em interrogatório sobre o histórico de nascimento e pré-natal da criança, Luciana confessou que a bebê era, na verdade, filha da adolescente e foi presa.

“Não vou descartar possibilidade nenhuma (sobre o que aconteceu com a adolescente)”, disse o delegado responsável por investigar o caso e o paradeiro da mãe da criança.

A polícia localizou a bebê com a ajuda de informações fornecidas por familiares das vítimas e pela sogra da acusada. A criança foi devolvida à família materna, acompanhada pelo conselho tutelar local.

As investigações continuam para esclarecer o que aconteceu com a mãe da bebê e verificar se outras pessoas estiveram envolvidas no caso.

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *